segunda-feira, Outubro 02, 2006

O Homem e a Máquina

Desde sempre o Homem sonha a máquina, utensílio que realizasse o maior número de tarefas com a maior eficiência, contudo só a partir do século XVIII quando James Watt criou a máquina a vapor se começaram a ver frutos. Desde aí veio a revolução industrial que introduziu em massa esse conceito de máquina, depois surgiu a electricidade e a partir daí foi só evoluir até este ponto, a sociedade tecnológica.

Precisamos de máquinas para tudo, para conservar alimentos, para os cozinhar, para lavar a casa, para a nossa higiene, para nos divertirmos, para nos informarmos, para nos deslocarmos, para comunicarmos, máquinas que nos salvam a vida, outras que a prolongam, enfim, máquinas que nos tornam a vida mais fácil e nos deram, no geral, muito mais tempo para gozarmos a vida.

Ninguém duvida que as máquinas nos facilitam a vida, mas será que nos trouxeram vantagens?
Infelizmente nem tudo são rosas, a verdade é que se as máquinas nos dão uma vida mais cómoda, também estamos cada vez mais dependentes das máquinas. Para comer e beber precisamos de frigoríficos e fogões, por exemplo, e é já difícil imaginar-mo-nos sem eles. Milhares de milhões de pessoas dependem das máquinas para trabalhar, nas fábricas, nos escritórios, aliás, é difícil hoje encontrar um emprego em que o uso das máquinas não seja implicita ou explicitamente necessário. Há um problema que acresce à dependência do Homem em relação à máquina, a dependência da máquina em relação à energia e a consequente escassez dessa energia face ao alto consumo da enorme quantidade de máquinas, o qual já se reflectiu, ainda que indirectamente (ou não) em guerras.

Claro que não podemos culpar as máquinas por todos os males que vêem ao mundo, nem por todos, nem por nenhum. Se as máquinas existem é por culpa do Homem, e são benéficas para ele, basta ele querer. Por outras palavras, "a máquina" pode ser capaz de realizar processos que o Homem não consegue, pode ajudar o Homem a progredir mais rápido mas não tem o poder que o Homem tem de controlar as coisas, ou seja, será sempre o Homem a decidir se a máquina terá boa ou má utilidade.
Este é um tema recorrente na ficção científica: E se o Homem criar uma máquina tão boa, e tão inteligente que será capaz de o destruir? Tal só acontecerá, se e apenas se, o Homem quiser. Ainda é impossível incutir sentimentos numa máquina, ainda se estão a dar os primeiros passos na área da Inteligência Artificial, mas mesmo quando daqui a 200 ou 300 anos as máquinas sentirem e tiverem inteligência praticamente humana, nunca destruirão a civilização humana, apenas se o Homem assim o quiser, apenas se o Homem permitir que na máquina estejam sentimentos como o ódio, a vingança, a ganância, só se à máquina for permitido sequer "pensar" em violência, guerra e destruição... Se o Homem fizer isto será um mau Homem, sem valores, sem escrúpulos e um Homem assim conduzirá a sua espécie à extinção bem antes de criar a tal máquina. Será sempre o Homem, com ou sem máquina, a escolher o seu destino e a responsabilizar-se pelos seus bons e maus actos, nunca devemos culpar as máquinas por nada, porque somos nós seres humanos que as criamos e programamos e a "máquina" apenas seguirá o caminho que o Homem escolher.

Conclusão (e para descomprimir): Não agridam o vosso computador, não pontapeiem o aspirador, não estrangulem a máquina de barbear, não vilipendiem a máquina calculadora pois a culpa afinal... é vossa!

17 comentários:

catarina disse...

bela conclusão!gostei do post...e decididamente precisamos delas (maquinas) porque fomos habituados a viver com elas...

{_::Guida::_} disse...

oh meu,curto beedah ler o k escreves...
ja deu pa ver k pensamos mt em comum...

pois eh,as maquinas podem nao ser boas em tudo,mx k nos faxilitam i mt a vida lá isso eh vdd...

Bjinhs**

disse...

Bem que as máquinas têm as suas desvantagens lá isso têm mas viver sem elas nem pensar! Olha a minha vidinha sem o computador...ui...
Estou a ver que continuas a escrever em grande!

Ana Filipa disse...

Sim, tens toda a razão naquilo que escreveste.
Mas também não nos podemos esquecer que a melhor máquina que sempre houve e haverá é o próprio Homem, e dessa iremos depender sempre :)

Ana.

PS: Parabéns, o teu blog está fantástico!

Anónimo disse...

...............................

Anónimo disse...

....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Anónimo disse...

Gostei muito do que escrevest.
Parabens. Tens um blog fixe.
Continua.

Aline disse...

Esse post me foi muito útil, graças a ele obtive inspiração pra fazer um trabalho q eu estava enrolando a um mês pra fazer.
Hj era o ultimo dia pra entregar e finalmente eu terminei.

Muito grata

SimplesmenteComplexa disse...

O assunto Homem vs Máquina vai ainda, certamente, fazer correr muita tinta, muita tinta ou muitas teclas.

O egoismo da eficácia e eficiência tem-se traduzido nessa luta incansável pelas máquinas mais apropriadas, mais lucráveis. E simultaneamente as máquinas têm-se humanizado, ao ponto de se tornarem réplica do que somos nos robots. Mas uma réplica é apenas e tão só isso, réplica.

Concordo que a superação do homem pela máquina depende da vontade deste, no entanto, parece-me de ressalvar que, esse prolongamento humano maquinificado, como acontece com os computadores e afins,poderá até ser vantajoso se o soubermos utilizar como um prolongamento fiel das relações construidas apenas com bases emotivas e sem ecrãs a esconder o que nos faz complexar a simplicidade do que trazemos cá dentro.

Rafeiro Perfumado disse...

Texto excelente, Tiago (o outro que sugeriste já tinha comentado na altura), mas discordo de uma coisa: para beber e comer não preciso de frigorifico e fogão, é mesmo de bebida e comida! ;)

Abraço!

Taya*Miss* disse...

Adoreiii, me ajudou muito em um trabalho do colégiio!!!
Parabéns ;)
Bjoos =*

disse...

Ótimo texto.

A tecnologia tem lados positivos e negativos, assim como tudo nesta vida! Infelizmente nós criamos e acabamos as vezes sendo dominados por nossa propria criação!

beeijos

4allEternity disse...

Excelente texto , mas repara , eu estou a fazer um trabalho sobre este tema para filosofia: "O Homem e a Máquina" , e procurei bastante informação acerca deste assunto .
Tal como o Homem , as máquinas (por exemplo: computadores, e todas as máquinas que contêm chips artificiais ... etc, ) também têm capacidade de pensar e raciocinar , mas o que os diferencia é que a máquina segue ordens de quem os programa , mas cada vez mais e mais , o Homem cria programas autónomos ( isto é , não precisam de ajuda Humana) , que quebram firewall´s , fazem uploads de virus , etc etc etc , e tudo o mais . Se isto tudo pode ser alterado apartir de CPU´s sozinhos , porque não pode ser criado uma rede lógica de raciocinio de computador para computador ? Não estou a dizer que vai acontecer , mas também não estou a dizer que seja completamente impossível , pois se virmos bem , ninguém pensaria alguma vez que uma coisa daquelas criasse tantos estragos em hiroshima !

Nada é impossível amigo , e se cada vez impormos menos limites á máquina , ela vai acabar por se tornar autónoma e consequentemente seremos varridos deste planeta e chegaremos á extinção , pois tal como tu disseste , nós não somos nada sem as máquinas .

Tal como o nosso cérebro , a máquina pode desenvolver-se a si própria sem precisar de mais ninguém . Apenas avaliando tudo ao seu redor . Se pensarmos bem , onde se encontra toda a história da humanidade ? Fácil : Internet .
Ai não seria preciso ensinar á máquina sentimentos como “ódio…ou….ganância” . Ela seria capaz de auto avaliar a Humanidade e decerto , nos metia como Inimigos , pois nós destruimos o planeta diariamente , somos maus e Mesquinhos , instalamos o terror e aproveitamos todas as situações possives e idiotas para partirmos para a Guerra uns com os outros .

Porque a máquina nos deixaria viver ? Pessoalmente não acredito que nos deixariam vivos . Isto não é ficção cientifica , mas sim factos . Nós já damos todo o poder á máquina , as nossas ogivas são controladas por máquinas , bolsa , Tv , electrodomesticos , financas , satelites , etc . O que os impediria de assumir o poder em relação ao homem neste planeta ?

Nada … Por isso eu acho que um dia a nossa própria criação pode vir a ser o nosso fim. E não adianta impormos limites, se o próprio homem continua a ceder privilégios á máquina .

Por isso , rebentem com os vossos computadores , com tudo o que tiverem electrónico , pois talvez , um dia , poderão ser eles a dar-vos um chuto .

Att Pedro,
17 anos , estudante => Escola Secundária Inês de Castro – Vila Nova de Gaia

Sâh disse...

pow primeiramente quero dizer que adorei teu blog, e esse seu pensamento expresso em letras que formam palavras, me ajudou pra pakas, tava agora de noite pensando em o que escreve na minha re~ção de filosofia falando sobre o momem e a máquina, resolvi pesquisar algo na net e acabei achando teu blog....vou até seguir, depois da uma passadinha lá no meu ;D
bjuxx brisantes!!!

Anónimo disse...

o manu parabens,muinto baum mesmo seu blog cara,me ajudou numa redação bem importante (naum copiei li seus conceitus e fiz o meu proprio em cima do seu vlw mesmo (meu face Alan Alencar)

Anónimo disse...

Excelente texto! Parabéns :D Usei algumas ideias rs

Anónimo disse...

4allEternity penso que esta situação ainda está longe de se realizar porque todas essas maquinas que criamos para realizar tarefas baseiam-se em trabalhos que nos próprios realizamos previamente. portanto para criarmos uma maquina que pense por si própria temos primeiro que saber como e que nos temos a capacidade de pensar. Até essa pergunta estar respondida não me parece que as maquinas se revoltem contra nos por estarmos a destruir o planeta.Apesar desta situação já ter estado mais longe ainda falta um grande caminho para percorrer.Espero que nao leves a mal o que estou aqui a dizer e se tiveres algo a dizer aceca disto dispoem.